O pai chegava da rua com os jornais e ninguém os podia ler antes dele. O cheiro do papel das imprensas e o das tintas acompanha-nos, à família, desde que a família é exactamente isso. Vamos desaparecendo no mundo. Quando o pai foi na voragem, o deserto era estranhamente povoado por pessoas que se pareciam com o pai. Quando o irmão velho se foi de viagem, nada foi menos natural até hoje e sempre.

Esta página das páginas é dedicada a todos os meus que nasceram com o cheiro das imprensas e o das tintas.  O abacate, saibam que o abacate é pseudofruto. Agora diz-se fruto acessório, não me parece bem nem mal. Ora o abacate cresce de um tecido vegetal adjacente à flor que sustenta o fruto propriamente dito e em tudo semelhante a um verdadeiro fruto. Estranho, não é? Não. Belo, isso sim. 

As vozes de Carminho e a de Marisa Monte para letra de Arnaldo Antunes. Parece leve, é leve até chegar às minhas mãos e tornar-se pesado, violenta a "aza" assim escreveu Antunes, e a água da chuva ser ácida. Poderia manter a nuvem da música suave, lírica? Podia. Mas não seria eu, nem a vida tal como daqui a observo. E vivo.